Buscar

Café Cajubá celebra 133 anos de Uberlândia com coleção de latas personalizadas e café gourmet


Existe lugar melhor para acolher um povo tão apaixonado por café do que a cidade que carrega a riqueza de sua terra em seu nome? Uberlândia, que significa terra fértil, completa este mês 133 anos e não há nada melhor do que relembrar sua história com um bom café.


Por volta de 1818 os primeiros moradores fixaram residência na região até que em 31 de agosto de 1888, por meio da Lei nº 4.643, foi criado o Município de Uberlândia.


Assim como o café semeado em terra fértil, a cidade cresceu e hoje abriga aproximadamente 700 mil habitantes, empresas de reconhecimento nacional e internacional, faculdades, artistas, polo tecnológico e construções modernas.


Mas sem deixar de lado sua história, Uberlândia possui vários prédios tombados pelo município e, sabendo da importância deles para a cidade, o Café Cajubá doou 22 placas identificativas para serem colocadas neles.


Nós temos orgulho de ser daqui e para celebrar a data lançamos a Coleção Especial Café Cajubá Uberlândia 133 anos.


São sete latas personalizadas com fotos de edificações históricas, 1 pacote de café Cajubá Essencial Moído 250g e três confeitos de café. Você pode escolher a lata que preferir ou garantir o combo com as sete latas.


As edificações são Casa da Cultura; Conjunto Praça Clarimundo Carneiro, Edifício da Câmara Municipal e Coreto; Oficina Cultural; Mercado Municipal; Coreto; Igreja Nossa Senhora do Rosário; e Prédio da Escola Estadual de Uberlândia.


As fotos que ilustram as latas são do fotógrafo Jorge H. Paul, que retratou as edificações espalhadas pela cidade, permitindo que um pouco da história de Uberlândia possa estar em nossas casas.



Casa da Cultura (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 4.217 de 15/10/1985)

Construída entre os anos de 1920 e 1924 pelo Sr. Eduardo Marquez. O projeto arquitetônico foi inspirado em um palacete paulista que o Sr. Marquez conheceu em uma de suas viagens a São Paulo, de onde trouxe fotografias e desenhos.

O projeto foi confiado ao engenheiro Fernando Paes Leme e a construção ficou a cargo do empreendedor Américo Zardo.


Conjunto Praça Clarimundo Carneiro, Edifício da Câmara Municipal e Coreto (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 4.209 de 25/09/1985)

A praça, projetada pelo construtor Cipriano Del Fávero, ocupa área que foi o segundo cemitério da cidade, desativado no ano de 1898. Em 1908 foi iniciado o processo para a construção de um Jardim Público no local, com o nome de Praça da Liberdade. Posteriormente, chamou Praça Antônio Carlos (1929) e, em 1961, a Praça passou a se denominar Praça Clarimundo Carneiro.


Coreto (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 4.209 de 25/09/1985)

Integra o conjunto urbanístico formado pela Praça Clarimundo Carneiro e o Palácio dos Leões. A obra foi inaugurada em julho de 1925, na administração do Agente Executivo Sr. Eduardo Marquez (1923 – 1927) que trouxe de São Paulo fotografias e plantas que o ajudaram na execução do projeto. Este administrador tinha uma atenção especial com os jardins públicos e sua gestão ficou conhecida como o “Governo das Flores”.


Oficina Cultural (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 4.217 de 15/10/1985)

Edificações datadas do início do século XX, ligadas à história da energia elétrica da cidade, inaugurada em 1909. A Companhia de Força e Luz de Uberabinha, primeira companhia de energia elétrica, foi implantada em 1912. Em 1929, foi criada a Companhia Prada de Eletricidade, que comprou o patrimônio da Cia de Força e Luz. O bem tombado é composto pelo imóvel de dois pavimentos, construído para alojar a administração da Cia. Prada e pela antiga residência do Coronel Clarimundo Fonseca Carneiro, um dos fundadores da Companhia.


Mercado Municipal (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 8.130 de 29/10/2002)

Sua inauguração se deu em 25 de dezembro de 1944, iniciando um processo de substituição de um sistema de vendas itinerante e informal por um sistema organizado em espaço institucional. A sua arquitetura marcou a mudança da paisagem urbana com a introdução de novas técnicas construtivas e formas mais lineares e simplificadas. Em suas fachadas o artista local Geraldo Queiroz pintou representações dos comerciantes e trabalhadores comuns que utilizavam este espaço para as suas atividades.


Igreja Nossa Senhora do Rosário (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 4.263 de 09/12/1985)

No ano de 1893 havia neste local uma modesta construção que abrigada a Igreja do Rosário. Entre os anos de 1928 e 1931, a antiga igreja foi substituída pela atual edificação, inaugurada em maio de 1931. Anualmente a Festa do Congado acontece nesta igreja, que é a edificação religiosa mais antiga da cidade.


Prédio da Escola Estadual de Uberlândia (patrimônio cultural tombado, Lei Municipal nº 9.904 de 13/06/2005)

Construído pela Sociedade Anônima “Progresso de Uberabinha”. Em agosto de 1921, o prédio estava pronto e funcionou até 1929 em regime particular. No início do ano de 1929 foi doado ao Estado de Minas Gerais para a instalação do Ginásio Mineiro de Uberabinha. O Ginásio foi criado em 03 de janeiro de 1929 pelo Decreto Estadual nº 8.958 e ofereceu internato para 120 alunos, com capacidade para atender também alunos externos.


Fonte: Prefeitura Municipal de Uberlândia



www.cafecajuba.com.br

Telefone: (34) 3213-1082


Vamos tomar um Cajubá?

@cafecajuba